Genislene Borges Psicopedagoga

image
Olá,

Sou Genislene Borges

Sou graduada em Letras, tenho 25 anos de experiência como professora atuando com alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e EJA. Sou pedagoga e pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional.

Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes.

Me movo como educador, porque, primeiro, me movo como gente.

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.

Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.

SERVIÇOS

Avaliação psicopedagógica

Trata-se de uma investigação do caminho da aprendizagem e o objetivo é compreender a origem da dificuldade e/ou distúrbio apresentado no que diz respeito à aquisição de conhecimento. É o momento inicial de todo o processo psicopedagógico e acontece entre 8 à 10 sessões avaliativas.

Intervenção psicopedagógica

A intervenção psicopedagógica acontece após a avaliação psicopedagógica e tem como objetivo trabalhar os aspectos deficitários apresentados pelo paciente. O tempo da intervenção depende do grau de dificuldade e capacidade de assimilação, bem como do empenho do paciente, pais e professores.

Orientação familiar

A orientação familiar visa absorver, compreender e identificar as dificuldades dos pais e/ou responsáveis de conhecer e entender os motivos das dificuldades dos seus filhos.

Orientação escolar

O trabalho incide nas questões didático-metodológicas, na formação e orientação de professores, além de fazer aconselhamento aos pais. É realizado também atendimento a alunos, investigação situações de não aprendizagem na escola, intervenções coletivas, aplicações de projetos e atendimento a profissionais externos que participam do tratamento de crianças com dificuldades de aprendizagem.

Supervisão psicopedagógica

A supervisão é de extrema importância, pois o psicopedagogo que está começando agora tem o auxílio de uma supervisora que já tem experiência para orientá-lo. A supervisão online tem como objetivo orientar diagnósticos, discutir casos e orientar intervenções.

Palestras e treinamentos

- Dificuldades de aprendizagem.

- Inclusão escolar.

- Práticas pedagógicas.

- Aluno com laudo: o que fazer?

- Como acompanhar a vida escolar do meu filho?

BLOG

O que acontece quando a criança é livre no brincar?

 

Vocês sabiam que brincar é um direito garantido por lei? Sim! Está na lei Capítulo IV - Do direito à educação, à cultura e ao lazer - Artigo 59, do Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

É brincando que a criança aprende a esperar sua vez, a dividir o brinquedo, a respeitar regras e a lidar com frustrações. As brincadeiras e os jogos fazem a criança desenvolver a linguagem, pensamentos, atenção, concentração e o lúdico merece atenção especial por parte dos educadores e também dos pais.

Vocês já observaram uma criança brincando? Ela costuma reproduzir algo que observa dos adultos, em casa ou na escola, e isso é de suma importância para observar e compreender como ela vê o mundo.

 

Com a vida corrida e a introdução dos brinquedos eletrônicos muito cedo, os pais tem passado pouco tempo com seus filhos, mas quero ressaltar que as brincadeiras entre pais e filhos ajudam a fortalecer vínculos emocionais, criar intimidade entre eles e estar inserido de perto na vida dos filhos. Mas, pra brincar com seu filho não é necessário esperar pelo final de semana ou as férias, pequenos momentos do dia a dia, que tenham a atenção dos pais, já é necessário para que a criança se sinta feliz, pois ela dá valor às pequenas coisas. Para ela os pequenos momentos de interação se tornam lúdico.

 

Algumas dicas de como brincar com as crianças: escutar e cantar músicas, brincar com água (mangueira, balde, piscina), ler e interpretar histórias, variados tipos de piques, mímicas e por último os jogos e brinquedos. Use a criatividade! Sua mão pode virar fantoches, sua voz pode imitar personagens!

 

O brincar é a linguagem do espontâneo e as crianças são os maiores especialistas do brincar. As crianças precisam brincar livremente, sem nenhuma função além do prazer. Propiciar e estimular brincadeiras na infância é o maior legado que podemos deixar para os nossos filhos e quando eles são livres para brincar, eles desenvolvem sua autoestima, sua autoconfiança, sua autonomia, sua criatividade, o companheirismo e, brincando eles são estimulados a descobrir, criar, experimentar e aprender.

 

Te convido a brincar agora mesmo!

 

Psicopedagoga Genislene Borges

 

 

Dicas para o primeiro dia de aula

 

Você se lembra de como foi seu primeiro dia de aula na faculdade? Eu sim e foi tenso. Apesar de não ser uma pessoa tímida, meu coração acelerou demais e fiquei gelada. A turma era bem grande e tudo era tão novo e diferente pra mim. Os dias foram passando e o bate papo e as amizades foram surgindo, mas demorou um certo tempo pra isso acontecer.


Agora, imagina uma criança que começa a estudar ou mesmo que já estude, começar um novo ano letivo, uma nova fase com novos professores e novos amigos? Não é fácil e os pais e educadores precisam estar atentos para aos comportamentos delas nesse início.


A primeira coisa a ser feita é ter paciência. Há crianças "e" crianças, certo? Então, cada uma com suas particularidades vai expressar de uma maneira seus sentimentos sobre essa nova vivência.


Não adianta ficar comparando uma com a outra, dizer que o amiguinho não tá chorando etc. Isso só faz piorar ainda mais a situação. Converse com seu filho e não despreze o que ele está sentindo naquele momento.


Há um outro tipo de reação comum também, algumas crianças não choram, mas guardam dentro de si frustrações. Esteja atento. Tenho experiência de ter tido alunos que aparentemente estavam ótimos na adaptação e poucos meses depois, não quiseram ir pra escola e começaram a ter reações de pirraça, choro e até medo.


Se você está passando por um momento mais difícil, deixo algumas dicas que podem ajudar:


- Sempre fale a verdade para seu filho, não tente enganá-lo.


- Diga, transmitindo confiança, que irá voltar pra buscá-lo. Nos primeiros dias, você pode combinar com a escola de buscar mais cedo e ir aumentando o horário com o passar das semanas. Há algumas escolas que já fazem isso no período de adaptação.


- Converse em casa sobre a nova experiência que ele irá ter. Que conhecerá pessoas novas e fará muitas amizades.


- Tenha paciência, muita paciência e, não desista no caminho.


- Converse com a direção da escola, diga sobre suas dúvidas e medos. 


- Converse com outras mães que já passaram por isso e verás que não está sozinha.


 Psicopedagoga Genislene Borges







A escolha da primeira escola


Para escolher a escola para o seu filho, considere alguns aspectos importantes, tais como:


    - metodologia;
    - experiência dos educadores;
    - espaço físico;
    - limpeza e organização;
    - segurança do local;
    - localização;
    - alimentação.


Além disso, converse com alguns pais que têm filhos nas escolas visitadas.


Um aspecto muito importante também é o preparo dos educadores, e o primeiro contato diz muita coisa sobre eles. Os educadores de uma escola infantil devem gostar de trabalhar com crianças e ter noções de como educar e cuidar delas.


Acredito que cada mãe, pai ou cuidador tenha uma sensibilidade especial para saber qual é a melhor escola para a criança. Analisando cada detalhe, é possível escolher a escola ideal, já que não existe escola perfeita, e sim aquela que atende às necessidades da criança e da família.


A Educação infantil é um momento muito importante na vida de uma criança. Ela continuará a receber estímulos para desenvolver suas habilidades motoras, cognitivas e sensoriais, seu relacionamento com o próximo e suas emoções.


Psicopedagoga Genislene Borges


Agende uma consulta

Fale comigo
genis.psicopedagoga@gmail.com
(11) 94479-6309